Ir para o conteúdo principal
blog medicina estética

cuidados com a pele do recém-nascido

Conhecer as características da pele e cuidados com a pele do recém-nascido que devem ser seguidos de acordo com a literatura científica.

Ao longo do período neonatal, a pele do recém-nascido se adapta da vida intrauterina ao ambiente externo. O período neonatal, ou recém-nascido refere-se à primeiro mês de vida.

Os recém-nascidos podem ser em termos de idade gestacional estimada:

• A termo, nascem entre 37 e 42 semanas.

• Pré-termo: nascido antes da 37ª semana.

• Pós-termo: nascem após a semana 42.

Apresento esses dados para uma melhor compreensão do texto subsequente. Primeiro, descreverei como é a pele do recém-nascido e, em seguida, falarei sobre os cuidados com a pele do recém-nascido.

Características anatômicas e funcionais da pele do recém-nascido.

Barreira da pele (1,2)

Sua função está na epiderme, a camada mais externa da pele. A barreira cutânea está totalmente desenvolvida em recém-nascidos a termo e não foram encontradas diferenças na perda de água transepidérmica em adultos. A medição deste parâmetro é considerada o “padrão ouro” para a avaliação da barreira cutânea. Abaixo da semana 37 e principalmente abaixo da semana 34, a barreira cutânea não está totalmente desenvolvida e estima-se que demore 2 a 4 semanas para fazê-lo. As áreas da pele onde a barreira cutânea se desenvolve mais rapidamente são as palmas das mãos e as plantas dos pés, certamente associadas à capacidade de suar.

Hidratação da pele (2)

Recém-nascidos com menos de 30 semanas têm a pele mais hidratada, certamente pela persistência do vérnix caseoso. a vérnix caseosa É um manto hidrofóbico que cobre o feto no útero e o protege da maceração no interior.

HP(2.3)

A presença do "manto ácido" da pele é necessária para se defender contra bactérias e outros agentes. Os recém-nascidos, independentemente da idade gestacional, apresentam pH de pele mais elevado que os adultos, ou seja, sua pele é mais básica. No período pós-natal, a HP diminui gradativamente até se equiparar à dos adultos entre aproximadamente 30 e 90 dias.

Secreção sebácea (1,2)

Na primeira semana após o nascimento, os recém-nascidos apresentam aumento da secreção sebácea, certamente devido à passagem de hormônios transplacentários. Depois, permanece baixo até o período pré-puberal.

suor (2)

Recém-nascidos a termo têm a capacidade de suar de calor e emoções. Parece que essas funções são desenvolvidas a partir da semana 29.

fluxo sanguíneo (2)

A vascularização completa da pele, com o aparecimento de toda a microvasculatura, ocorre após duas semanas do nascimento. A capacidade de responder a estímulos vasculares da pele, como calor ou frio, está presente ao nascimento tanto em bebês a termo quanto em prematuros.

Essas características estão resumidas na tabela a seguir, juntamente com a unidade anatômica envolvida (Tabela 1), para facilitar sua leitura (1) e compreender melhor os cuidados com a pele do recém-nascido que devem ser levados em consideração.

Tabela 1. Características anatômicas e funcionais da pele do recém-nascido (Adaptado de: Torrelo A. Dermatology in General Pediatrics (1)

Tabela 1. Características anatômicas e funcionais da pele do recém-nascido.

cuidados com a pele do recém-nascido

Ambiente (2,3)

• Temperatura: um ambiente excessivamente quente, fundamentalmente no recém-nascido prematuro, aumenta a perda de calor pela pele e, portanto, o risco de hipotermia.

• Umidade do ar: Presumivelmente, o aumento da umidade do ambiente reduz a perda de água da pele e melhora a barreira cutânea. No entanto, em estudo realizado com recém-nascidos prematuros, verificou-se que aqueles submetidos a um ambiente mais úmido demoraram mais para amadurecer a barreira cutânea (4).

Você pode estar interessado >>>  Se você está interessado em medicina, você gostará de estudar essas especialidades

Banheiros (4)

• O banho do recém-nascido não é considerado prejudicial, mesmo quando remove o vérnix caseoso que protege a pele ao nascer.

• Recomenda-se dar banho aos recém-nascidos a partir de 6 horas após o nascimento e no caso de prematuros aguardar 4 a 6 dias.

• O sabonete deve ter PH neutro e o xampu não é essencial nos cuidados com a pele do recém-nascido.

• Recomenda-se que o banho dure menos de 5 minutos e esteja a uma temperatura confortável não superior a 37 graus.

Hidratação (3.4)

• A aplicação de cremes emolientes no recém-nascido reduz o risco de dermatites e irritações nos pés, principalmente se adicionarem lipídios, como colesterol, ceramidas, palmitato ou ácido linoleico. Esses lipídios ajudam a manter o equilíbrio da barreira da pele.

• Seu uso em recém-nascidos prematuros é mais controverso, visto que a barreira epidérmica é imatura e foi constatado em alguns estudos que a aplicação de emolientes na pele favorece infecções no Hospital.

Cuidados gerais (4)

• As unhas devem estar limpas e curtas.

• Trocas de fraldas:

– Geralmente após cada tomada.

– Pode ser limpo com lenços umedecidos, que são menos irritantes se tiverem ao mesmo tempo uma loção oleosa hidratante. Caso contrário, pode-se usar água esterilizada.

– A aplicação de cremes barreira à base de vaselina (vaselina) ou óxido de zinco sobre as alterações minimiza o risco de irritação.

• Cuidados com o umbigo/cordão umbilical:

– A lavagem diária e a aplicação de clorexidina pelo menos uma vez ao dia durante os primeiros 10 dias evita o risco de infecção.

– Deve ser manuseado com cuidado com a higiene das mãos.

– Evite sujar a área ou esfregar a fralda.

Desinfetantes para cuidados com a pele do recém-nascido (4)

• A clorexidina é segura no recém-nascido.

• Álcool e desinfetantes iodados devem ser evitados.

Proteção solar no recém-nascido (3,4)

• Os recém-nascidos não devem ser expostos ao sol.

• Em casos inevitáveis, é melhor usar um filtro solar mineral ou físico com fator de proteção igual ou superior a 30.

Aplicação de medicamentos em cremes no recém-nascido (4)

• A absorção de medicamentos pela pele do recém-nascido é aumentada, devendo-se ter cuidado com esses tratamentos, pois existem alguns que podem causar toxicidade.

• A capacidade relatada da prilocaína, um creme anestésico amplamente utilizado em dermatologia, de produzir metemoglobinemia em recém-nascidos se aplicado em grandes áreas é bem conhecida na dermatologia.

Referências

1. Torrelo A. Dermatologia em pediatria geral. Aula de Medicina. Primeira edição.

dois. Flur JW, Darñenski R, Taieb A, et al. Adaptação funcional da pele na infância: quase completa, mas não muito competente. Exp Dermatol 2010; 19: 483-492.

3. Flur JW, Darlenski R, Lachmann et ai. Fisiologia da pele epidérmica infantil: adaptação após o nascimento. Br J Dermatol 2012: 166: 483-490.

Quatro. Afsar FS. Cuidados com a pele de recém-nascidos prematuros e a termo. Clin Exp Dermatol 2009; 34: 855-858.

Convido você a compartilhar este post para que outros pais conheçam os cuidados com a pele do recém-nascido que devem ser seguidos de acordo com a literatura científica.

Você também pode estar interessado em: